logotype

As oficinas de Artes Plásticas começam com Giorgio Morandi


Dia 6 de abril foi mais um dia memorável para o bairro rural do Maracanã (Atibaia-SP). Deu-se início às oficinas de Artes plásticas do TERRITÓRIO DAS ARTES CARAVAN MASCHERA-Jd. Maracanã.  Pela primeira vez, os moradores daquele bairro tiveram a oportunidade de entrar em contato com técnicas de artes visuais, história da arte e apreciação estética. Neste primeiro encontro o artista em discussão foi Giorgio Morandi (1890-1964), a técnica introduzida foi a pintura com lápis negro e a linguagem luzes e sombras. Na obra de Morandi, suas natureza mortas são pura contemplação pessoal, uma meditação sobre as considerações clássicas da pintura: composição, planos, linha, luz, cor, sombra. 

Os pequenos e grandes pretendentes a artistas da comunidade tiveram as primeiras noções básicas sobre o que é e qual seria a importância e o valor do artista na sociedade de hoje. E, claro, entenderam o que quer dizer natureza morta nas artes.

Um aluno chamou a atenção: um garotinho de 9 anos que no ano passado saiu correndo atrás do cortejo de teatro que passou na rua,  depois de ter assistido dentro da sala de sua própria casa um pequeno espetáculo para sua família (Teatro de Porta em Porta- Caravan Mashcera). “ vai ter aula de boneco também?” perguntou...  viu só como a conta fecha direitinho?

Disseram que “não ia rolar” colocar um curso de artes visuais no Maracanã; erram! Basta conferir um pouco do que se produziu.

As aulas de Artes Plásticas do Território das Artes Caravan Maschera contarão com diversos artistas e movimentos da arte clássica, moderna e contemporânea. Além da pintura e do desenho, os alunos também entrarão em contato com a escultura, a história da arte e a apreciação estética. Ao final do curso haverá uma exposição no Centro Comunitário do Jd. Maracanã com os trabalhos realizados. Quando? Todas as quartas-feiras das 9h às 11h e das 14h às 16h. Quanto? Grátis!

O TERRITÓRIO DAS ARTES CARAVAN MASCHERA-Jd. Maracanã é uma realização da Cia Caravan Maschera em parceria com a Associação Estação Maracanã.

 

Apoio:

Ministério da Cultura- Funarte- Governo Federal

Governo do Estado de São Paulo- ProAc

Projeto Orun-Aiye.

 

www.caravanmaschera.org

www.projetoorun-aiye.com

 

  

 

  

 

Começaram as oficinas de artes integradas

No dia 5 deste mês de Abril começaram as oficinas de Teatro e Artes integradas do TERRITÓRIO DAS ARTES CARAVAN MASCHERA-Jd. Maracanã.
Muito bom ver essa moçada se descobrindo pela primeira vez por meio do teatro. Não faltou energia e diversão nesse recomeço de atividades. Alguns alunos vieram de novo depois de terem participado no ano passado, outros vieram por curiosidade sem nem saber o que se passaria, mas todos saíram de lá com um gostinho novo na boca.
Máscaras, bonecos, expressão corporal, jogos, fotografia, produção de vídeo, e literatura brasileira... tem muita coisa para rolar nessa oficina de Artes Integradas. Todas as terças-feiras das 9 às 11 e das 14 às 16 no Centro Comunitário do Jd. Maracanã.
O TERRITÓRIO DAS ARTES CARAVAN MASCHERA-Jd. Maracanã é uma realização da Cia Caravan Maschera em parceria com a Associação Estação Maracanã.

Apoio:
Ministério da Cultura- Funarte- Governo Federal
Governo do Estado de São Paulo- ProAc
Projeto Orun-Aiye.

 

   

   

 

Oficina de Stop Motion gratuita no Bairro rural do Maracanã

No mês do Cinema de Animação, uma oficina de Stop Motion gratuita no Bairro rural do Maracanã (Atibaia-SP).

A moçada da Escola Circe deu um verdadeiro Show de improviso e criatividade na oficina de Stop Motion realizada na última semana durante a 1º Semana da Cultura da Escola Circe realizada pela Cia Caravan Mashcera, dentro do Projeto Orun-aiye (www.projetoorun-aiye.com).
Vinicus Souza, botando pra rodar, ministrou uma oficina que durou três dias envolvendo alunos e professores da Escola rural Maria Circe. Foi um imenso prazer poder oferecer gratuitamente essa oportunidade de criação e este primeiro contato com esse tipo de cinema aos participantes na companhia de um ministrante que dispensa comentários e de produção ativa na nossa cidade, sobretudo porque estávamos na semana do Cinema de Animação. O tema foi a lenda brasileira da Iara que foi resgatada do fundo do mar pelos peixes e virou Sereia.

Esta oficina é a complementação das atividades de Audiovisual proposta pelo projeto Orun-aiye realizado pela Cia Caravan Maschera Teatro cuja sede está no bairro rural do Jd. Maracanã. Além do Cine-Maracanã que exibe filmes quinzenalmente dentro do Centro Comunitário e num telão a céu aberto, durante o projeto, foram oferecidas as oficinas de vídeo-documentário e de Stop-motion para aquela comunidade que dista 16km do centro de Atibaia (vocês sabiam?).

Do nosso ponto de vista, não basta simplesmente oferecer àquela comunidade produtos de arte. A comunidade só torna detentora de um saber e de uma experiência artística, quando esta pode, além de acessá-la, compreendê-la mais intimamente e reproduzi-la autonomamente. Ou seja, somente quando a própria comunidade começa a produzir arte com seus pontos de vista e valores é que se pode dizer que um ciclo se fechou (o ciclo deve se fechar e não se alastrar aleatoriamente por anos e bairros). É a tal política cultural. O resultado deste tipo de ação é de dar lágrimas nos olhos: hoje mesmo, quando fazíamos pesquisas para o documentário do bairro, um dos moradores (o Pezão, dono do Bar do Pezão) veio até nós e nos sugeriu/intimou:

- “ E se a gente fizesse um filme no bairro? Com as pessoas do próprio bairro, nas casas, nas ruas e onde quer que seja?” . Nós:- “ Mas e gente pra fazer?” . Ele - “ a gente já tem sete”, e nós: - “sobre o que será o filme?” . ele com um sorriso esperto: “Não sei, a gente inventa. Já pensou a gente passando naquela telona na praça?”

Beijinho no ombro...

Nesse sábado dia 14 é a finalização da Oficina de Documentário. Das 14 às 18 horas estão todos convidados para participar ativamente ou curiosamente da produção das entrevistas do documentário sobre o bairro do Maracanã. Encontro marcado no centro comunitário do Jd. Maracanã.

Estas ações de fotografia, teatro e cinema são os primeiros passos de uma TV Rural inédita que está por vir, feita pelos próprios moradores do bairro: a TV MARACANÃ.

Este projeto é uma realização da Cia Caravan Maschera Teatro e tem o apoio do ProAc de Artes Integradas e da Associação Estação Maracanã.

VEJA TODAS AS FOTOS

 

       

OCUPAR, INSISTIR E RESISTIR: Território das Artes

OCUPAR, INSISTIR E RESISTIR: Território das Artes Caravan Maschera- Jd. Maracanã começa as atividades.

Em Fevereiro de 2016, voluntários da Associação Estação Maracanã, cidadãos comuns do bairro do Maracanã e a Cia Caravan Maschera prepararam o Centro Comunitário do Jd. Maracanã para receber as atividades deste projeto que busca levar arte, cultura e reflexão ao bairro rural do Maracanã e outras atividades. Uma ação de limpeza e preparação desse tipo é inédita naquele espaço comunitário gerido pela Associação Estação Maracanã que completa 10 anos no próximo ano. Não se tratou apenas de uma limpeza com vassouras e baldes de água. Todo um esforço para reorganizar a cozinha, preparar uma sala de instrumentos musicais e de materiais de aulas de artes, colocar vidros nas janelas quebradas, cortar a grama, retirar entulho e organizar materiais de festas e atividades comunitárias. O SAAE se recusou a retirar as carteiras e mesas sucateadas que por algum motivo misterioso encontravam-se nas dependências das salas do Centro Comunitário do Jd. Maracanã. Mas, como sempre, a própria comunidade soube como contornar essas dificuldades “burocráticas”.

Ocupar, insistir e resistir! Três palavras que traduzem o que é fazer arte nessa terra. Não é novidade nenhuma dizer que a arte e a cultura em nosso país são tratadas em segundo plano; é elegante e nos dá o ar da inteligência dizer que a arte e a cultura podem transformar as pessoas; não nos cansamos de ver o poder público em todas as esferas (municipal, estadual e federal) e a “Classe Política” encher a boca e os nossos ouvidos de promessas para dar mais acesso à cultura em nosso país. No entanto, “já deu...”: Quando, Onde, COMO e PARA QUEM arte e cultura???

Nos dias 23 e 24 de Março de 2016, a Cia Caravan Maschera em parceria com a direção da Escola Circe e da Associação Estação Maracanã deu o ponta-pé inicial do “Território das Artes Caravan Maschera Jd. Maracanã”. Cerca de 300 jovens assistiram no dia 23 a apresentação de Tiringuito, Luiza e a Morte. Outros 300 alunos assistiram a “Vidas Secas”, no dia 24. Essas apresentações serviram de meio para divulgar as atividades gratuitas de cinema, fotografia, artes visuais e teatro que serão realizadas pela Cia Caravan Maschera no Centro Comunitário e seu entorno. Foi apenas a segunda vez que quase todos aqueles jovens de zona rural presenciaram um acontecimento teatral. A primeira vez foi no ano passado com outros espetáculos da mesma Cia Caravan Maschera, de Atibaia. A lindeza da coisa não está em se apresentar ali naquele bairro que não tem esgoto tratado, com ruas de terra em sua maioria, bairro sem iluminação pública decente, bairro sem creche, bairro sem farmácia, bairro sem banca de jornal, bairro que mesmo assim paga IPTU. A lindeza mor é apresentar Tiringuito, Luiza e a Morte que já foi para o Festival Mondial des Marionettes na França, que já foi para Roma, que já foi para Milão, que já foi pra São Paulo, que já foi para o Sertão do Ceará, que já foi para Santa Catarina; a lindeza não foi tanto em apresentar “Vidas Secas” igualzinho como foi feito para 12 comunidades quilombolas, como foi apresentado em 7 cidades do interior paulista, como foi apresentado no centro de convenções de Atibaia, como será apresentado em 9 unidades do SESC de SP, MG, BA, SE, AL, PB em 2016...

Não! 
O tesão da coisa é fazer ESSES espetáculos ALI. É sutil, é poeira...

Quando a sociedade começa a dar as costas às promessas (sempre as mesmas) e às esperanças (sempre as mesmas) produzidas quase que melodicamente pelo poder público e se vira para a própria sociedade e seus problemas é porque algo de estranho acontece. Uma pequena pedrinha começa a fazer um barulhinho numa engrenagem muito antiga e muito grande. De início quase não se percebe, depois incomoda um pouco, e mais a frente começa vibrar de um modo que não se pode deixar de comentar, por fim outras pedrinhas começam a surgir, o ciclo recomeça e aumenta. Chega um momento que não se tem mais uma ou outra pedrinha aqui ou acolá, mas uma poeira de pedrinhas que começa impregnar sutilmente e lindamente sobre as coisas. A engrenagem caduca.

 

O Território das Artes Jd. Maracanã é uma realização da Cia Caravan Maschera Teatro e da Associação Estação Maracanã e conta com o financiamento do:
Ministério da Cultura e Funarte (Leia-se DILMA ROUSSEF)
Governo do Estado de São Paulo e ProAC (Leia-se GERALDO ALCKIMIN)
WWW.caravanmaschera.org
WWW.projetoorun-aiye.com
FB: Caravan Maschera

Das peripécias de um curso de fotografia em zona rural.

Das peripécias de um curso de fotografia em zona rural (Bairro do Maracanã-Atibaia)

Nesta semana, fechamos (ou acabamos de abrir) mais um ciclo do projeto Orun-Aiye. Em parceria com o fotógrafo Rafael O. Leme, a Cia Caravan Maschera de Atibaia realizou uma oficina de fotografia na Escola Circe, no bairro rural do Maracanã-Atibaia-SP.

Visto que se trata de uma oficina de fotografia, não podemos nos estender com descrições textuais. Nunca conseguiremos descrever as imagens clicadas ou que permanecerá para sempre em nossas memórias depois de um momento tão forte.

Dentro de todo o projeto, acreditamos que esse tenha sido um dos momentos mais tocantes. Tão importante e realizador do que fazer teatro dentro das casas e dos quintais das próprias pessoas daquele bairro humilde, é poder educar (diferentemente de formatar) o olhar daqueles jovens que fizeram a oficina e ver que as pessoas abriam as portas de suas casas humildes, suas janelas sem verniz, seus portões enferrujados, suas memórias empoeiradas e seus corações antigos para serem fotografadas por estudantes jovens com seus celulares modernos que não faziam Selfies (Nada contra, mas tudo contra) de si mesmos, mas compreendiam que a beleza das imagens estavam no outro.

Contradição: Não eram mais o tema do testemunho da imagem, mas eram os protagonistas do testemunho em imagens. Aqueles alunos perceberão para sempre seu entorno e sua realidade de um modo muito mais sensível. Nunca mais olharão para uma criança brincando sem pensar em foco, diafragma, quadratura e movimento. Perceberam que para se compreender bem dentro de um contexto é preciso mudar de ponto de vista, experimentar novos olhares sobre si e sobre seu próprio bairro. Agora, começam a concretizar em imagem aquilo que a Escola estranhamente os impede de fazer: olhar para o mundo e ver o mundo. Olhar para uma pedra e não ver só pedra (Adélia Prado).

E mais uma vez nos deparamos com nosso julgamento besta, coxinhesco, opressor e repressivo: Sim, eles podem fazer muito mais do que trabalhar em um caixa do Supermercado Nagumo. Sim, “eles” (pronome tão utilizado por nós quando alguns estão a mais de 2km de nossos bairros) são tão sensíveis quanto “nós”.

É necessário um agradecimento muito especial ao fotógrafo Rafael O. Leme (também de Atibaia), que teve sempre uma didática sensível, engajada e repleta de muito, mas muito amor mesmo. Meu caro, você não mostrou apenas àqueles jovens como fotografar, mas os ensinou-os a escrever uma poesia com o olhar... Isso, infelizmente, não pode ser fotografado. Obrigado mesmo Rafa!

No final do mês algumas das fotografias dessa “saída fotográfica” serão compartilhadas dentro de uma exposição fotográfica no Centro Comunitário do Jd. Maracanã. É ver para crer e para se emocionar. Uma pequena prévia é a fotografia do cachorro atrás das grades feita pela Beatriz, de 12 anos com uma câmera de celular na mão. Meu chapa, até mesmo um cachorro parou de se coçar para ver os meninos e meninas fotografarem tudo e de tudo e você não vai por os pés nesse bairro e fazer um selfie bobo na nossa exposição???

Este projeto é uma realização da Cia Caravan Maschera com o apoio do ProAc de Artes Integradas e da Associação Estação Maracanã.

Veja todas as fotos

 

       

2019  www.projetoorun-aiye.com